top of page

Formar e ensinar informática e computação: um desafio

Atualizado: 27 de nov. de 2023

Método pedagógico para ensinar um geração de facilitadores


Quando aderi ao Projeto NOVOTEC SP para ministrar as disciplinas de Desenvolvimento Web, Segurança da Informação e Edição de Vídeos, me deparei com um curto tempo para preparar profissionais, então pensei em como prepará-los com base de conhecimento científico, acadêmico induzindo à prática e, claro, com a apresentação de um trabalho de conclusão de curso e que está alinhado aos conceitos do projeto, no caso chamado de "Projeto Integrador".


Orgulhosamente apresento aqui o Programa NOVOTEC SP que é um programa com opções de cursos técnicos e profissionalizantes gratuitas aos estudantes do ensino médio das escolas estaduais paulistas oferecidos pelo respeitado Centro Paula Souza, uma autarquia do Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) presente em 365 municípios, com o objetivo de atender as necessidades do mercado e complementar a formação.


Para trabalhar a sua percepção real de profissional, gestão de tempo, projetos de a sua valorização profissional o projeto começa como a criação da própria marca, no caso, uma marca, um site em que a interface é a diferencial do negócio. Desta forma temos aplicado os desenvolvimento de negócios; brand e soluções de interface (usabilidade e experiência) numa fase.


Para que o entendimento e conhecimento sobre a interação-humano-máquina, o UX e o USE CASE fosse além da superfície, considerando ser o ensino médio. Desta forma, iniciei com narrativas de percursos de navegabilidade e experiência dentro do site, na qual eles deveriam simular quatro clientes diferentes com quatro objetivos distintos. Estudos de Mapa de empatia. isso nos dá uma noção de como uma construção de narrativa lógica sobre uma experiência é percebida e escrita pelo aluno. Essa capacidade envolve lógica matemática e língua portuguesa, claro, pois falamos de escrever e se comunicar. Se o profissional que pretende programar um computador ou uma interface para se comunicar ou vários públicos, não sabe entender uma e narrar ou descrever uma comunicação para si daquilo que vê e faz ou executa, então como será este final? O que ele fará para terceiros?


Essa é uma preocupação que tive desde o início porque pela vida toda com formação básica em sistema de informação, estudando interação-humano-computador e atuando em comunicação na internet, já situações de pessoas que mal se expressam não conseguindo codificarem nada, nem escript, nem rotina e muito menos um processo e a sua melhoria.


Sonoridade, colorimetria, psicologia das cores, conteúdo foi trabalho para a produção de peças em canais de comunicação em rede. Essa foi a segunda fase. A comunicação visual, sonora e argumentativa em rede.


Expressa em arte com vídeos e banners os alunos brilhantemente e com muito empenho desenvolveram a sua capacidade criativa, a de resposta de máquina e de público, no caso o seu cliente e usuário.


Nas fases posteriores, teremos uma imersão em raciocínio lógico, noções em programação e linguagens de tradução para interfaces, softwares web e aplicativos em rede.


Em todas as minhas aulas, em especial as de Criminal Profiling, o meu método é fazer circular as opiniões para que as percepções sejam contaminadas e com isso o cérebro trabalhe muito e além do esperado e desta forma ampliar as teorias de crime sejam inseridas na construção do perfil criminal que impacta direto nessa elaboração apoiadora nas investigações.


O mesmo acontece nas turmas que ministro disciplinas que tangem ao comportamento como interface, interações, design de interação, acessibilidade e lógica de programação, onde faço pensar e raciocinar, eu ajudo a chegar na solução e não dou, jamais. eu ensino a pensar como um exímia educadora de tecnologia.


Entendo que com a experiência produzir comunicação em massa usando vídeos e banners para atrair e trazer seus potenciais clientes para acessarem e usarem a sua ferramenta, site ou aplicativo, narrando percursos de navegabilidade e acessos, nessa fase terão uma condição melhor da montagem de interfaces do seu site que deve se comunicar e gerar solução de negócio e de tecnologia mais ágil e intuitiva para o seu cliente.


A meta principal é fazê-los entender que desenvolvimento de arte, aplicativos, sites é dar solução para uma demanda que um cliente confiou-lhes a fazer. A utilização de ferramentas de desenvolvimento de arte, sistemas e/ou programação é intuitiva e pessoal na qual se intensifica mediante a necessidade, que por sua vez, acontece em função de demandas de serviço. Esta pra mim é a grande equação.


Acredito que desta forma se ensina tecnologia com tempo curto à um público nativo digital que aprendeu a programar agenda, notificações de eventos, feeds e dentre outros "pensamentos computacionais" de "proximidade".



Importante


Sobre o Centro de Paula Souza: é uma autarquia do Governo do Estado de São Paulo, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) presente em 365 municípios, a instituição administra 224 Escolas Técnicas (Etecs) e 75 Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais, com mais de 323 mil alunos em cursos técnicos de nível médio e superiores tecnológicos. A instituição também é reconhecida como Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT), uma organização sem fins lucrativos de administrações públicas ou privadas, que têm como principal objetivo a criação e o incentivo a pesquisas científicas e tecnológicas. O reconhecimento se deu por unanimidade em reunião do Conselho das Instituições de Pesquisa do Estado de São Paulo (Consip), realizada em 14 de setembro de 2021.

Kommentare


Die Kommentarfunktion wurde abgeschaltet.
bottom of page